INFODEMIA: Muito pior que o Coronavírus.

A chegada do COVID-19 alterou, sem dúvidas, quase todos os elementos da cinética global. As futuras gerações terão como referência um “antes e depois” desta versão do Coronavírus.


Paralelamente temos de forma explícita um elemento contagiante e com níveis de morbilidade social e psíquico-física devastadora. Um elemento realmente pandêmico: A INFODEMIA.


A palavra INFODEMIA se refere a um grande aumento no volume de informações associadas a um assunto específico, que podem se multiplicar exponencialmente em pouco tempo, como por exemplo, a pandemia do Covid-19. Nessa situação, surgem rumores e desinformação, além da manipulação de informações com intenção duvidosa. Na era da informação, esse fenômeno é amplificado pelas redes sociais e se alastra rapidamente como uma PANDEMIA.


Onde se origina e como atua a pandemia da INFODEMIA? Facilmente podemos acusar algum grupo de pessoas num contexto sociopolítico, religioso, contestatário ou autógeno. Alguns setores da sociedade, da política ou do establishment institucional tem articulado habilmente formas de acusar a quem pensa diferente de serem “fanáticos, extremistas, negacionistas ou gestores de fake news”. Quem por dedução contestar alguma questão, de forma automática se encaixa num ...”lado obscuro” de quem se autoproclama administradores do saber.


A verdade é que as pessoas se sentem enjoadas. A confiança nas instituições despenca. A indignação moral é algo generalizada. O desprezo pelo poder estabelecido é intenso. Esto inclui muitos meios de comunicação que atuam como porta-vozes dos poderosos e avançam polarizando a sociedade, pois sim, realmente existe um lado negro da mídia


Então: O que está impulsionando o novo INFODEMIA do coronavírus? Medo, incerteza e marketing oportunista estão desempenhando seu papel. Mas também é um legado de nossa crescente desconfiança em relação à ciência, aos especialistas e às instituições de saúde.


Não é apenas a era da INFODEMIA, vivemos também na ERA DA DESCONFIANÇA.

A INFODEMIA pode te contagiar, mas você pode pensar nisto e fazer diferente.